Fechar
Publicidade

José Cardoso

Minuto a Minuto >

Publicado em quinta-feira, 26 de janeiro de 2017 às 07:21 Histórico

Receita Federal divulga cronograma do IR 2017

Ainda em setembro, abordei aqui o tema da organização de documentos do seu IR (Imposto de Renda), com dicas para você não se perder quando estivesse chegando a hora da declaração. E aí? Você fez a sua lição de casa? Ainda dá tempo de se preparar. No início deste mês, a Receita já divulgou em seu website o cronograma do IR 2017, que deverá ser entregue entre 2 de março e 28 de abril. Lembrando que, basicamente, muitos tipos de despesas são dedutíveis do IR. Exemplos são gastos com dependentes, Saúde, Educação, contribuições previdenciárias, doações a determinadas entidades, pensão alimentícia, livro-caixa e outros. Minha sugestão é que você mantenha tudo junto, separado por tipo de documento. Assim fica fácil de ter em mãos documentos que podem ser necessários de última hora.

Dica interessante se você ainda não começou a se organizar com os documentos do ano passado: tenha em mãos a declaração do ano anterior. Aí fica bem mais fácil para você identificar os campos que precisa preencher e o que mudou de um ano para outro. A declaração anterior ainda pode ser o seu check list para organizar os documentos deste ano.

Também aconselho a ficar atento aos recibos de médicos e de dentistas. Lembro que eles devem estar assinados e conter o CPF ou CNPJ do emissor, bem como a descrição dos serviços prestados e as informações do dependente, caso contrário não têm validade.

Quando falamos de investimentos financeiros, estes são mais fáceis de organizar, pois os próprios bancos costumam emitir informes com saldos e rentabilidades, fundos, previdência etc. Apenas no caso da renda variável e de fundos imobiliários que o investidor precisa recolher os documentos.

Outro ponto relevante no caso de investimento é a questão das ações. É necessário possuir as informações de compras e vendas, mesmo em operações isentas, pois vendas de ações com valores de até R$ 20 mil mensais não pagam imposto, mas valores superiores têm a cobrança de 15% sobre o ganho até o fim do mês que segue à venda. Se você não acompanha, procure sua corretora e peça as notas de corretagem.

A falta de conhecimento e o esquecimento podem levar muitos contribuintes a omitirem rendimentos. Fique atento, pois neste caso você certamente cairá na malha fina e ficará sujeito a multas. É necessário informar toda a renda tributável, inclusive as que tiveram IR retido na fonte. Não se esqueça de informar sobre aluguéis, valores recebidos de ações trabalhistas e outros.

No caso dos planos de previdência, se não tiverem tributação na fonte, também devem ser informados, bem como doações, com a origem do valor ou do bem.

Organize-se que tudo dará certo! Avante! 



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC