Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Empresários estão otimistas com 2017


Wilson Marini

16/01/2017 | 07:00


Apesar da crise, o pequeno e médio empresário paulista pretende investir mais em inovação em 2017, de acordo com pesquisa realizada pela agência Desenvolve SP com 383 empresários de várias regiões do Estado, divulgada na semana passada. A pesquisa foi aplicada entre maio e dezembro de 2016 em 13 cidades: Botucatu, Santos, Sorocaba, Araçatuba, Campinas, Piracicaba, Guarulhos, Ribeirão Preto, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Marília e São Carlos, além da Capital. O levantamento aponta que 80% deles têm a intenção de ampliar o investimento em inovação já neste ano. Outros 16% também disseram que pretendem investir, mas diluíram o prazo para os próximos três anos. “A pesquisa mostra que mesmo num período de incerteza econômica, os empresários estão dispostos a investir em inovação”, declara o presidente da entidade, Milton Luiz de Melo Santos.

Juro Zero

O governador Geraldo Alckmin anunciou na sexta-feira a criação de um programa de crédito voltado ao crescimento e desenvolvimento dos MEIs (Microempreendedores Individuais) paulistas. O programa “Juro Zero Empreendedor” financiará o investimento na ampliação e modernização dos negócios de microempreendedores que realizam curso de capacitação do Sebrae-SP. O governo estima a existência de 1 milhão e meio de microempreendedores no Estado. O programa vai financiar o capital de giro e a compra de máquinas e equipamentos, materiais de construção, veículos utilitários, software, hardware e ferramentas, entre outros itens. Para quem pagar as prestações em dia, a taxa de juros será zero. O prazo será de até 36 meses, incluindo seis meses de carência. O valor do financiamento será entre R$ 1.000 e R$ 20 mil por beneficiário. 

Credibilidade dos jornais

Os jornais impressos são o meio de comunicação mais confiável para os brasileiros, segundo mostra mais uma vez a Pesquisa Brasileira de Mídia, encomendada pela Secom (Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República) ao Ibope. Ao todo, 59% dos entrevistados disseram que confiam sempre ou muitas vezes nas notícias publicadas em jornais. Rádio e televisão têm 57% e 54%, respectivamente. Os entrevistados se dizem mais desconfiados quando as informações são de sites, blogs e redes sociais. O levantamento mostra que o tempo de leitura médio dos jornais impressos é de uma hora e 10 minutos. A amostra é de 15.050 entrevistas em todo o País.

Ânimo com feriados

Viagens nos fins de semana prolongados por feriados devem injetar R$ 21 bilhões a mais na economia brasileira em 2017, segundo a projeção do Ministério do Turismo. O levantamento, feito em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas), calcula cerca de 10,5 milhões de viagens ao longo do ano nesses períodos. O Ministério do Turismo acredita que as viagens e o consumo nos dias de folga gerarão renda e emprego. A Abav (Associação Brasileira das Agências de Viagem) estima que a demanda por viagens de lazer em 2017 deverá crescer entre 8% e 14%. 

Em série

O feriado que deve gerar maior impacto na economia, segundo o estudo, é o Dia de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de outubro, quando 1,94 milhão de viagens movimentarão R$ 3,9 bilhões. Haverá três fins de semana sequenciais com feriados prolongados: 14 de abril (Sexta-Feira Santa), 21 de abril (Tiradentes, sexta-feira) e 1º de maio (Dia do Trabalho, segunda-feira). Os demais feriados são: 15 de junho (Corpus Christi, quinta-feira), 7 de setembro (Independência do Brasil, quinta-feira), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, quinta-feira) e 2 de novembro (Finados, quinta-feira). Somam-se o Carnaval, o Natal e o Réveillon.

Franquias

Ricardo José Alves, presidente da Halipar, responderá pela Diretoria Regional Interior de São Paulo da ABF (Associação Brasileira de Franchising) no biênio 2017-2018.

Fim do “chorinho” na bomba

O médico Danilo Costa Fernandes, auditor fiscal do Ministério Público do Trabalho, apoia o projeto de lei, aprovado pela Assembleia Legislativa, que proíbe o abastecimento de combustíveis após ser acionada a trava da bomba. “Isso protege o trabalhador, o cliente, quem estiver no entorno dos postos de abastecimento, o meio ambiente e até o próprio veículo”, diz ele. O objetivo é diminuir a exposição ao benzeno, substância cancerígena presente nos combustíveis. Depende agora de sanção do governador Alckmin.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.