Fechar
Publicidade

Turismo

Minuto a Minuto >

Publicado em quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017 às 07:00 Histórico

Bem perto da natureza

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

 Paz, tranquilidade e sossego. Quem, pelo menos uma ou duas vezes no ano, não precisa (ou tem vontade) se retirar do meio da selva de pedra para se aventurar no meio da natureza? Existem vários desses paraísos por aqui e Visconde de Mauá, definitivamente, merece entrar na lista de lugares preferidos.

A cerca de 293 quilômetros do Grande ABC, a região – formada por mata atlântica exuberante no meio da Serra da Mantiqueira – é cheia de peculiaridades. Apelidada como ‘joia rara’ devido ao uso sustentável dos recursos naturais, possui mistura interessante do clima de montanha, com diversos rios e riachos que cortam a região.

Por estar rodeada de natureza e bem acima do nível do mar, as temperaturas variam de acordo com a estação, com dias quentes e úmidos no verão e frios e áridos no inverno. Essa variação possibilita os visitantes conhecerem suas diversas facetas ao longo do ano. Mas independentemente da época, uma coisa é certa: é impossível não se apaixonar por lá. Além disso, o ar de cidadezinha do Interior e a hospitalidade dos moradores locais são encantadores.

Cortada de ‘fio a pavio’ pelo Rio Preto, que divide os Estados de Rio de Janeiro e Minas Gerais quase que na totalidade de sua extensão, a região de Visconde de Mauá é formada por quatro vilas diferentes administradas por três municípios: uma parte é Bocaína de Minas, que fica em Minas Gerais, outra é Resende e uma terceira é Itatiaia, essas últimas do Rio de Janeiro.

AS VILAS
Primeira a ser criada, a vila de Visconde de Mauá concentra boa parte dos serviços úteis ao turista. Logo na entrada se encontra um posto de informação da Mauatur (associação de prestadores de serviços turísticos associados) que orienta os visitantes. Além disso, abriga diversos restaurantes que merecem a visita e o centro cultural da região, onde são realizados tradicionais eventos, como a famosa feira de produtos orgânicos.

Um pouco mais acima, a vila de Maringá reúne o que o destino possui de melhor quando se trata de gastronomia e artesanato. A Alameda Gastronômica Tia Sôfia é o lugar ideal para amantes de bom vinho ou chocolate quente e para um passeio no fim da tarde. Além disso, uma fábrica de cervejas artesanais e pequenas produções de chocolate oferecem souvenirs que agradam qualquer um. Desse ponto é possível cruzar os limites de Minas Gerais e Rio de Janeiro atravessando apenas uma pequena ponte construída em cima do Rio Preto. É em Maringá que o turista tem acesso à pouca vida noturna da região.

Já a Vila de Maromba, localizada a cerca de 1.500 metros de altitude, é local de passagem para várias cachoeiras, mas também possui um centrinho aconchegante com lojinhas de artesanato, restaurantes e diversas pousadas.

Hospedagem de qualidade para todos os gostos e bolsos
Se existe uma coisa que Visconde de Mauá tem como quase nenhum outro lugar é opção para se instalar. Sustentada pelo turismo, a região se especializou em receber bem, fazendo o visitante se sentir em casa.

Vale ressaltar que por se tratar de um lugar com clima típico e cercado de mata atlântica o público-alvo da região são casais e pessoas em busca de turismo de aventura, por isso são poucos os locais que aceitam crianças. Independentemente disso, para pais sem ‘neura’, Visconde de Mauá proporcionará aos pequenos lembrança inesquecível do que é estar em contato com a natureza.

Entre as cerca de 300 opções disponíveis está a pousada Casa Bonita. Localizada no alto da Vila de Maromba, é refúgio cercado por bosques, campos e colinas. Com 13 chalés e três suítes, proporciona aos hóspedes descanso, conforto e privacidade para relaxar. Além disso, eles aceitam crianças.

A estrutura conta ainda com academia localizada no alto da colina e com visual exuberante, restaurante exclusivo para os hóspedes – com comidas servidas no fogão a lenha, pães, queijos e geleias caseiras –, além de atelier e galeria de artes com obras de Cassia Freitas. Como opção de lazer os hóspedes têm à disposição sauna, deck e banheira com hidromassagem aquecida ao ar livre e acesso a piscinas naturais formadas pelo Rio Preto.

Os pacotes incluem pensão completa e as diárias para casal saem a partir de R$ 680 nos fins de semana até o fim deste mês. Mais informações e reservas estão disponíveis no site (www.pousadacasabonita.com.br) ou pelo telefone (24) 3387-1342.

LAZER COMPLETO
Outra opção para quem prefere lazer completo, o Hotel Bühler, localizado na Vila de Maringá, em Minas Gerais, é o local ideal. Com quase 100 anos de existência, foi o primeiro hotel da região, recebendo hóspedes desde 1922. Naquela época, os donos cediam sua casa para os visitantes e se acomodavam no paiol.

Com 20 chalés diferenciados, o Bühler tem estrutura para receber desde casais em lua de mel até famílias com crianças, incluindo um quarto adaptado para cadeirantes. Além disso, preza pela preservação do meio ambiente, é totalmente sustentável e dá destino certo a todos os resíduos produzidos em suas dependências. A estrutura conta ainda com restaurante, pizzaria e churrascaria exclusiva para os hóspedes, e lazer completo com piscinas quentes e frias adulto e infantil, piscina e duchas naturais, sauna, playground, quadras de tênis, poliesportiva, campo de futebol, minigolf, xadrez gigante, bocha, academia ao ar livre e coberta e sinuca para adultos.

O fim de semana com meia pensão para casal em fevereiro sai a partir de R$ 998. Mais informações e reservas estão disponíveis no site (www.hotelbuhler.com.br) ou pelo telefone (24) 3387-1204.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC