Fechar
Publicidade

Palavra do Leitor

Publicado em terça-feira, 14 de fevereiro de 2017 às 11:04 Histórico

Febre amarela: sem correria

Artigo

Desde 1942 o Brasil não registra casos de febre amarela por transmissão urbana. Naquela época o vetor da doença era o Aedes aegypti, mosquito que atualmente transmite dengue, zika vírus e chikungunya. Os casos e mortes por febre amarela silvestre surgidos neste ano a partir do Estado de Minas Gerais, mas que também já chegaram a São Paulo e Espírito Santo, além de suspeitas em investigação no Tocantins e na Bahia, são silvestres, contraídos em regiões rurais e de mata e transmitidos por outros mosquitos, entre eles o Haemagogus e o Sabethes.

As autoridades de Saúde devem cumprir seu papel, a partir da identificação de mortes de macacos e também de casos suspeitos de febre amarela em humanos, e adotarem as medidas sanitárias pertinentes, como a aplicação de vacinas contra febre amarela na população que reside em áreas de risco de transmissão da doença, devidamente identificadas pelo Ministério da Saúde.

Mas as pessoas não devem, de forma indiscriminada, correr aos postos de Saúde sem necessidade para tomarem a vacina. Basicamente devem ser imunizadas as que moram nas áreas de risco de transmissão de febre amarela e aquelas que pretendem viajar para esses locais. Fora isso, não há necessidade nem é indicada a vacinação.

Não há, no momento, razão que justifique alterar o protocolo de vacinação contra febre amarela. O esquema adotado na rede pública é de duas doses, tanto para crianças a partir dos 9 meses de idade quanto para os adultos. Quem não tomou a vacina quando criança deve tomar duas doses, com intervalos de dez anos, mas somente se for viajar ou reside em área de risco.

Crianças com menos de 6 meses de idade, idosos, grávidas, mulheres que estão amamentando bebês de até 6 meses, pacientes imunodeprimidos ou em tratamento de câncer não devem receber a vacina. Exceções devem ser discutidas individualmente.

A vacina contra a febre amarela é segura e eficaz, com poucos efeitos colaterais. Mas a vacinação indiscriminada aumenta o risco do desenvolvimento de febre amarela vacinal, evento raro, mas que pode ocorrer, uma vez que o produto é obtido a partir do flavivírus enfraquecido.

O governo do Estado de São Paulo está em alerta e trabalhando, em parceria com os municípios, intensificando a vacinação em regiões onde foram identificadas epizootias (óbitos de primatas) e casos suspeitos e confirmados de febre amarela e promovendo operações mata-mosquito em zonas rurais e de mata. O objetivo é conter eventual avanço da doença, que no momento não se configura. Não há motivo para pânico ou corrida aos postos de vacinação do Estado.

David Uip é médico infectologista e secretário de Estado da Saúde.

Palavra do leitor

Farol baixo
A redução de acidentes, tão propalada com a proposta desde 8 de julho, é desprezível, ou foi enganação. Veja o parecer do professor da FEI Creso Peixoto neste Diário (Setecidades, dia 11). O que interessa de verdade ao nosso governo é o montante arrecadado com as multas no valor de R$ 130,16 cada e a propaganda. Quanto mais, melhor! O Ministério Público poderia ser chamado para conferir!
Manuel da Silva Gomes
Ribeirão Pires

Se eu fosse uma pena
Se eu fosse uma pena estaria em várias situações ao mesmo tempo. Se eu fosse uma ave eu teria pena/Se eu fosse uma caneta eu teria pena/Se eu fosse um lutador de boxe seria da categoria pena/Se eu fosse condenada teria de cumprir uma pena/Se eu me soltasse de uma ave em pleno voo não saberia meu fim, mas continuaria a ser uma pena/Tenho 78 anos, bem vividos, e confesso que foram leves, como uma pena/Sou feliz, e um dia irei partir, vou deixar vocês, que pena.
Veneranda Nilda Varin
Mauá

Pista de caminhada
Surpreendeu-me postagem em redes sociais colocada pelo vereador presidente da Câmara de Santo André, Almir Cicote, em que cita serviços de limpeza em praças como atendidos pelo prefeito Paulo Serra. Começo a entender que as mudanças são para poucos. O IAPI, na Vila Guiomar, por meio de ofício, solicitou roçagem e limpeza na pista de caminhada na Rua Rodolfo Santiago, inclusive com reportagem neste Diário (Setecidades, dia 26 de janeiro). A resposta foi que tínhamos de aguardar o cronograma. No caso do vereador presidente, o serviço veio a cavalo. Paulo Serra, você é a expectativa de mudanças. Mude.
Roberto Gomes da Silva
Santo André

Petistas e PSDB
O prefeito de Santo André nomeou dia 9 mais uma petista para compor sua equipe. A secretaria premiada foi a da Educação, comandada pela ex-vice-prefeita Dinah Zekcer. O cargo de encarregado administrativo da Educação foi dado à ex-secretária adjunta de João Avamileno na gestão de Carlos Grana, Liliam Baldin Guarnieri. Outra pérola é a diretoria de tributos ser comandada por outra petista, que na gestão Grana foi agraciada com função gratificada. Será que somente os petistas são competentes? Prefeito, seu partido é o PSDB, por favor. A população e funcionários da Prefeitura aguardam a limpeza nessa equipe de trabalho para o senhor governar com transparência, pois quando se trata do PT tudo é muito nublado. Grande parte de sua campanha foi pautada em ataques ao petista Carlos Grana, que na época já tinha em seu quadro essas petistas, então não faz sentido mantê-las em seu governo. Infelizmente essas não são as únicas petistas que compõem o seu governo. Acho que o senhor deveria fazer arrastão na Prefeitura antes que as estrelas vermelhas sejam coladas como adornos nos departamentos. Acorda, prefeito! O eleitor não é burro!
Gilda Moreira
Santo André

Resposta – 1
Em resposta à carta do leitor Maurício Goduto (Atendimento, dia 10), a Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Saúde, informa que o exame do munícipe foi agendado para a semana que vem. É importante ressaltar que a atual gestão herdou demanda reprimida de exames extensa, porém já estuda medidas para zerar a fila de espera e evitar que a situação se repita, avaliando possíveis parceria com hospitais privados.
Prefeitura de Santo André

Resposta – 2
Em atenção ao leitor Ailton Gomes (Papéis ao vento, dia 13), esclarecemos que o Grande ABC recebe vultosos investimentos do governo paulista. Foram R$ 4,6 bilhões no Rodoanel, que integrou Anchieta, Imigrantes e Régis Bittencourt, beneficiando Mauá, São Bernardo, Santo André e Ribeirão Pires. Neste ano, serão R$ 315 milhões para o custeio da Saúde na região. Há quatro serviços estaduais de referência: os hospitais de Diadema e Mário Covas (que passou por reforma e ampliação) e os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de Santo André e Mauá. Investimos ainda R$ 70 milhões em equipamentos e construção dos hospitais Serraria, Ribeirão Pires, Márcia Braido, Radamés Nardini e Clínicas de São Bernardo. Desde 2016, o Expresso Linha 10 opera em via exclusiva, com paradas em Santo André e São Caetano, e o Corredor ABD foi totalmente modernizado, garantindo mais conforto e menor tempo de viagem. Construímos Etecs nos sete cidades da região. A Etec Lauro Gomes (São Bernardo) está em reforma e a Fatec Diadema e as Etecs e Fatecs de Santo André e São Caetano já reformamos.
Governo do Estado de São Paulo 



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC