Fechar
Publicidade

Palavra do Leitor

Publicado em quinta-feira, 16 de março de 2017 às 09:53 Histórico

Palavra do leitor

Este artigo trata de dois temas opostos: febre amarela é morte; mulher é vida. Comecemos falando da febre amarela. Moléstia que se supôs erradicada desde 1907, pelo menos em parte do território brasileiro, volta a assustar. As pessoas estão procurando, espontaneamente, os postos de vacinação, a fim de defender-se da doença mortal. Em nosso Estado, milhares de pessoas já foram vacinadas e outras milhares aguardam sua vez de receber a agulhada que salva.

Oswaldo Cruz, o maior sanitarista na história do Brasil, pretendeu estabelecer a vacinação em massa para combater os surtos de varíola, doença que estava fazendo milhares de vítimas. Os jornais da época colocaram-se contra Oswaldo Cruz. A Escola Militar da Praia Vermelha levantou-se contra a pretendida vacinação compulsória. Enquanto no Brasil o grande Oswaldo Cruz era massacrado, fora de nossas fronteiras o mundo científico rendia homenagens ao brasileiro, que nasceu no Interior do Estado de São Paulo, na pequenina São Luís de Paraitinga.

Argumentava-se que ninguém pode ser vacinado contra a própria vontade. Isso feriria a liberdade individual. Esqueceram-se os opositores da vacinação que as doenças endêmicas colocam em risco as pessoas em geral. Mais que afronta à liberdade individual de alguns, isso afronta o direito de todos à vida. Como a história caminha a passos vagarosos! Como é difícil vencer os preconceitos! Como é penosa a estrada dos pioneiros!

Como seria ato de Justiça que todo cidadão, ao ser vacinado, agradecesse em silêncio: ‘Obrigado, Oswaldo Cruz’. Ao homenageá-lo, quero relembrar dois outros grandes sanitaristas brasileiros: Carlos Chagas, descobridor da doença de Chagas, e Adolpho Lutz, que descobriu a pasteurização do leite. Já que acabamos de celebrar o Dia Internacional da Mulher, não podemos omitir a homenagem às mulheres do Brasil. Oito de março lembra episódio trágico: as 129 mulheres que morreram queimadas, dentro de fábrica de Nova York, porque reivindicavam condições dignas de trabalho. Mas não queremos relembrar Nova York e esquecer Leopoldina, em Minas Gerais, onde nasceu Jerônima Mesquita.

Num tempo em que as mulheres eram relegadas a situação de completa inferioridade, Jerônima Mesquita lutou pelo reconhecimento do valor da condição feminina. Conclamou mulheres à luta, desenvolvendo a primeira ação coletiva e organizada, em favor dos direitos da mulher no Brasil.

Viva Oswaldo Cruz! Viva Jerônima Mesquita! Viva a dignidade humana! Viva a luta pela Justiça e por mundo melhor! Viva a igualdade entre homens e mulheres!

João Baptista Herkenhoff é juiz de Direito, palestrante e escritor.


Palavra do leitor

Trágico

Está se criando no povo brasileiro movimento contrário à reforma proposta para a Previdência Social, o que é mais que compreensível, uma vez que ela implantada estará condenando os trabalhadores a nunca alcançarem o direito de se aposentarem. Agora, ver nas redes sociais pessoas postando serem contra a reforma e ao mesmo tempo defendendo este governo golpista e corrupto que quer implantá-la, seria cômico se não fosse trágico!
José Alencar Marcon
Santo André

Espertalhões

Tive meu carro apreendido por documentação atrasada. Organizei-me e consegui pagar as multas, mas ainda tenho que quitar dois meses de pátio onde o veículo está. Minha revolta é a seguinte: minha filha faz faculdade e paga mensalmente R$ 98 de estacionamento coberto e com seguro. O pátio cobra-me R$ 55 por dia para o veículo ficar a céu aberto no meio do mato. Disseram que eu tenho que pagar todos os dias que o veículo ficar lá. Até aí concordo. Mas, mesmo pagando, o veículo é liberado somente cinco dias depois, e terei que pagar por mais esse período. Absurdo! O governo do Estado, ao invés que combater o crime e sonegadores, prefere vingar-se no cidadão de bem. Não concordo com tantas taxas e tributos esdrúxulos.
Mancha Gomes
São Bernardo

Correios

Fiquei muito admirado com as palavras do presidente dos Correios neste Diário (Política, dia 13), ao dizer que a empresa está na UTI, mas sem aparelhos. Belas parábolas para esconder a incompetência administrativa que impera ao longo das décadas, além da má gestão. Agora, se uma empresa tem deficit de bilhões, como patrocina eventos e propagandas que não têm retorno? Nunca comprei selo ou qualquer outro produto dos Correios porque apareceu em horário nobre na TV. Enquanto isso, os funcionários têm que se submeter às péssimas condições de trabalho e falta de Segurança pública. Infelizmente o que impera nas estatais e autarquias neste País é viver no mundo do faz de conta. Como prega um dito popular, ‘por fora bela viola, por dentro pão bolorento’.
Ailton Gomes
Ribeirão Pires

Sem palco

Prefeito José Auricchio Júnior, de São Caetano, a comunidade do bairro São José está indignada. Como pode em uma festa como a de São José, já na 12ª edição, o senhor não mandar palco para os shows? Agora, nesta semana, que, segundo informações, o senhor virá ao evento, mandará palco? A comunidade do bairro está muito triste com esse esquecimento.
Fernando Zucatelli
São Caetano

As listas

O Brasil está mais importante do que nunca, afinal, até agora só a lista de Schindler era famosa. Mas o País, sempre na vanguarda, especialmente da corrupção e querendo entrar no Guiness, lançou a lista de Janot (Política, ontem). E como tem gente importante! A de Schindler perto dessa é nada! Só espero que os políticos não mudem as regras do jogo e melem tudo, afinal, no Brasil nada está tão ruim que não possa piorar.
Antônio José Gomes Marques
Rio de janeiro

Posando de ídolo!

Desembargador responsável pelo processo do jogador Bruno afirmou que deve julgar o caso dele ainda neste ano. Quando? Porque nas primeiras páginas dos jornais já estão estampadas fotos desse cruel assassino, esquartejador e ocultador de cadáver ao lado de crianças que o terão como ídolo. Dá para acreditar em Justiça como esta? Esse é o futuro do País, onde se louvam assassinos, corruptos e tudo mais de errado.
Beatriz Campos
Capital



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC