Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alvo da PGR, ministro Aloysio Nunes pede ao STF acesso a citações



20/03/2017 | 20:14


Um dos novos alvos da Procuradoria-Geral da República, na lista de pedidos de inquérito enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, pediu que o STF lhe garanta acesso aos conteúdos que veiculem seu nome. A petição já se encontra no gabinete do ministro Edson Fachin, relator dos processos relacionados à Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

"Vem o requerente solicitar perante Vossa Excelência para que seja autorizado o seu imediato acesso a qualquer tipo de investigação ou representação que mencione seu nome no âmbito desse Excelentíssimo STF e a todos os elementos de prova que o instruem", diz a petição encaminhada ao Supremo pela defesa do ministro.

O argumento é que isso seria necessário "para que possa ter conhecimento dos fatos amplamente divulgados pela imprensa brasileira (doc. na. 02) e desde já contribuir para a sua solução, exercendo o seu amplo direito de defesa, com o consequente certo arquivamento dos autos".

O pedido do ministro destaca uma citação que seu nome teria recebido em um depoimento de um dos delatores de acordo, o ex-diretor da Odebrecht Carlos Armando Paschoal - que, de acordo com o jornal "Folha de S. Paulo", teria relatado o pagamento de R$ 500 mil por meio de caixa dois à campanha de Aloysio ao Senado em 2010.

Via de regra, o STF tem negado o acesso a conteúdos que ainda não foram tornados públicos em fase de investigação, para não atrapalhá-las.

Conforme apurado pelo jornal O Estado de S. Paulo, Aloysio é alvo de pelo menos um inquérito que a PGR encaminhou ao Supremo na semana passada. Entre os pedidos do procurador-geral, Rodrigo Janot, estava também o da retirada do sigilo de parte das revelações feitas pelos executivos e ex-executivos da empreiteira baiana. A queda do sigilo depende da decisão do ministro Edson Fachin, que não tem prazo definido para responder aos pedidos da PGR.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.